Hoje, 23 de julho, divulgando e relembrando…

Relembrando Anísio Teixeira…

Atividade em sala de aula na Escola Classe Experimental / CRPE-BA. (1950-1951). Fonte: CPDOC/FGV, 1950. Foto retirada do artigo CENTRO REGIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA BAHIA: Ponto de conexão de uma articulação inovadora criada por Anísio Teixeira de autoria de Lívia Maria Góes de Britto e Edna Pinheiro Santos.

Membros do grupo de Pesquisa MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO NA BAHIA relembram Anísio Teixeira:

A Doutora em Educação Lívia Maria Góes de Britto e a Doutoranda Edna Pinheiro Santos publicaram na Revista Perspectivas e Diálogos: Revista de História Social e Práticas de Ensino, Caetité, BA, v. 1, n. 9, p. 96-115, Jan./jun. 2022 o artigo CENTRO REGIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA BAHIA: Ponto de conexão de uma articulação inovadora criada por Anísio Teixeira (1950 -1951).

O artigo aborda as iniciativas do educador Anísio Teixeira, enquanto diretor-geral do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos – INEP, entre as quais o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais e os Centros Regionais de Pesquisa em Educação que, em níveis nacional e local, desenvolveram pesquisas educacionais. Aborda mais detalhadamente o Centro Regional de Pesquisa da Bahia, dando destaque a Escola Experimental vinculada ao centro e ao caráter precursor desta Instituição, quanto as ações formativas e de aperfeiçoamento de professores que desenvolvia e que seriam posteriormente realizadas no Centro Educacional Carneiro Ribeiro, mais conhecido comoEscola Parque.

Sobre a REVISTA Perspectivas e Diálogos: Revista de História Social e Práticas de Ensino.

É um periódico semestral, online,  associado ao grupo de pesquisa Núcleo de História Social e Práticas de Ensino (Nhipe/Cnpq) do Departamento de Ciências Humanas, campus VI, da Universidade do Estado da Bahia, localizado na cidade de Caetité, Bahia, e vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade (PPGELS) do Departamento de Ciências Humanas, Campus VI, da Universidade do Estado da Bahia. Tem por objetivo divulgar produções originais e inéditas de relevância científica na área de História com ênfase na História Social, na História da Educação e Pesquisa e Práticas de Ensino de História. A Revista dialoga com a  literatura, a filosofia, a antropologia, a sociologia, a arqueologia, as variadas linguagens imagéticas e sonoras (cinema, fotografia, iconografia, música) e com as tecnologias de informação e de comunicação na pesquisa e no ensino.

O periódico não cobra taxa de processamento de artigos (submissão, avaliação e publicação), disponibiliza seu conteúdo em acesso aberto e publica trabalhos científicos inéditos sob a forma de entrevistasartigos, dossiês e resenhas de livros.

Quanto à titulação, os autores devem se enquadrar em uma das categorias: mestres e/ou doutores; alunos vinculados a programas stricto sensu; alunos vinculados a programas lato sensu e graduados exclusivamente em coautoria com o orientador (mestre ou doutor). Em caso de coautoria, pelo menos um autor deve ter mestrado e/ou doutorado.

PARA SABER MAIS SOBRE A REVISTA, CLIQUE AQUI

Relembrando a ESCOLA NORMAL, o tema da edição do Blog Modos de Fazer Educação na Bahia no mês de julho 2022.

Enquanto aguarda a edição junho/ julho 2022, conheça um pouco sobre a Escola Normal de Caetité.

Um professor negro dirigiu a Escola Normal de Caetité entre 1930-1935.

O professor Alfredo José da Silva nasceu em 20 de abril de 1887, no lugar denominado Baixão, na Freguesia de Nossa Senhora d’Ajuda do Bom Jardim, no município de Santo Amaro da Purificação. Foi aluno da Escola Normal da Bahia. Chegou a Caetité em 1926, nomeado por decreto de 10 de março daquele ano como lente catedrático interino de Língua Portuguesa e Literatura Nacional da Escola Normal de Caetité. A posse ocorreu em 6 de abril e sua primeira aula no dia 23; foi efetivado na cadeira em 12 de maio de 1933. Por decreto de 19 de março de 1930, foi nomeado Diretor da Escola Normal de Caetité, exercendo o cargo até 12 de novembro de 1935, quando se exonerou a pedido. O professor Alfredo José da Silva foi o primeiro negro a assumir a direção daquela renomada Escola Normal, que formou muitos intelectuais e políticos, cujas trajetórias são reconhecidas na Bahia e no Brasil. Foi prefeito do município de Caetité entre os anos 1947 e 1948 e faleceu em 7 de outubro de 1985.

O professor Alfredo deixou um acervo considerável que pode ser acessado através de http://acervos.uneb.br/index.php/arquivo-do-professor-jose-alfredo-da-silva

PARA SABER MAIS SOBRE O PROFESSOR ALFREDO, ACESSE

https://academiacaetiteense.fandom.com/pt-br/wiki/Alfredo_Jos%C3%A9_da_Silva e leia o texto Alfredo José da Silva

https://livrozilla.com/doc/1073808/gysele-lima-de-toledo para ver o texto DE PROFESSOR A POLÍ TICO: ALFREDO JOSÉ DA SILVA, TRAJETÓRIA DE UM PROFESSOR NEGRO EM CAETITÉ – BA (1926-1949) de autoria de Gysele Lima de Toledo

http://www.cdi.uneb.br/site/?cat-trabalhos-academicos=teses-ppgeduc&termo=filtro-todos&termo-valor=Antonieta+Miguel para ler a tese O PROFESSORADO PRIMÁRIO DA BAHIA: FORMAÇÃO ACADÊMICA, NORMATIZAÇÃO LEGAL E ATUAÇÃO POLÍTICA (18891930) de autoria de ANTONIETA MIGUEL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close